9.27.2007

ABERTURA

Quatro anos passados sobre o início das actividades do Beco das Imagens, apeteceu-nos fazer algo mais. Os livros que nos passaram pelas mãos, os trabalhos que fomos conhecendo, os autores com quem fomos contactando e as iniciativas que cada vez mais vão surgindo em torno da banda desenhada e da ilustração (mesmo que as mais interessantes de entre estas passem despercebidas ao tal ‘radar critico’) levaram-nos a criar esta galeria virtual. Mas antes de inaugurá-la, cumpre deixar claros alguns critérios que definirão as escolhas que aqui se poderão ir vendo.

Primeiro, importa deixar esclarecido desde já que esta não será um espaço orientado por aquele critério vago e nada criterioso a que se costuma dar o epíteto de ‘descoberta de novos valores’. Quer isto dizer que não vamos expor trabalhos de autores desconhecidos só porque são desconhecidos? Não. Quer apenas dizer que não vamos expor trabalhos de autores desconhecidos só porque são desconhecidos. Confuso? Nem por isso. Exporemos trabalhos de autores desconhecidos sempre que nos parecer que têm qualidade, interesse, alguma espécie de potencial ao nível da linguagem... nunca só porque são ‘novos’. E até já temos alguns na calha...
Segundo, decidimos que o espaço será aberto à banda desenhada e à ilustração nas suas mais variadas vertentes e sem necessidade de fronteiras cabalmente definidas e intransponíveis. Parece-nos mais interessante que assim seja.
Terceiro, no caso de autores com obra publicada e acessível e com um trabalho já reconhecido, tentaremos evitar a exibição de trabalhos que já toda a gente viu, expostos ou impressos, preferindo exibir trabalhos menos conhecidos.

A exposição inaugural desta Galeria do Beco é da autoria de Richard Câmara, que muito nos honra com a sua participação e a quem muito agradecemos a disponibilidade e o interesse demonstrado por este projecto.
As portas abrem dentro de momentos.

2 comments:

Flashfinger said...

E se apresentassem obras de desconhecidos só porque não sendo conhecidos se tornassem ainda mais escondidos e desconhecidos devido ás suas obras que de tão desconhecidas eclipsariam o baixo grau de conhecimento que já teriam atingido com outras obras mais conhecidas mesmo que desses autores desconhecidos?
Bom, não sei se me fiz entender... Bom comissariado! Brr...
Pedro

Sara Figueiredo Costa said...

Também não era uma má ideia. Mas não vamos complicar...